15 de out de 2009

Desaba o teto na cabeça do pobre
seca o rio e a miserável horta destrói
o prédio alto tira o sol que esquenta
gente que anda rápido
máquinas barulhentas
o campo onde o gado morre
seca que mata
chuva que enche tudo
no céu não há nem mais oxigênio
poluição, carbono, tosse
sangue da boca e os filhos que morrem
camumbebe vagabundo nordestino
o novo dono da terra cobra
destrói a cerca
imaginação é o destino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário