31 de dez de 2008

O sinistro nos vem acalentar
o mistério do calvário sem fim
mil coisas me fazem pensar
que teus olhos não choram por mim
tua boca deseja outros lábios
enquanto os meus sempre estiveram ao teu lado
não desista do seus sonhos como eu
lute por eles até o fim chegar
pois lá seremos recompensados
por nossos grandes erros de amar
Beber me faz bem
me faz por pra fora o que há de bom em mim
e não atrapalha ninguém
só se beber junto, aí sim
me fodo todo dia e além
isso me faz ser assim
ai de mim! Porque ser assim?
Quero viver bem
quero ir além
e ser um ser independente
inconsequênte
como uma faca rente
em sua mente
mostrando minha face oculta
o meu ser carente
que sempre acaba sozinho
pensando em mim
Eu só quero prar a vida inteira
amar de forma verdadeira

ver teu rosto refletido em traços
de uma criança que dorme em meus braços

passar por todos os martírios
sem tirar da mente teu sorriso
A luz da lua nada se esconde
se revelam as dores
se declaram os amores
e perdidos no espaço
se reportam á mãe
ó sábia e doce criatura
nos ensina á ser sinceros
até com nós mesmos
Agora acabou
você se foi
e eu fiquei
sem ter o que dizer
espero a noite chegar
sonhar contigo
e em fim
ficar em paz
Sem sentido vivo á vagar
pelo arco-íris sem fim
começo a ouvir vozes
vejo que está aqui
não posso me conter
vou desmaiar
não dá pra aguentar
vou morrer
em fim
vai acabar
Vá embora
quero ficar só
procurando meu melhor
bem perto de conseguir
vou sorrir
vou fugir
pra do mundo longe estar
e sorrir
e chorar
minha dor
meu sofrer
por não conseguir
te esquecer

19 de dez de 2008

Sentir-me-ia completa
se em teus braços pudesse estar
da noite fria ao lindo raiar
da tarde quente ao inverno polar
do teu abraço ao meu aconchegar
e a luz da manhã nos iluminar
comprimenta, sorri e vai dançar
a alegria da vida crescente
do amor inocente
A sorte do acaso
me entregou aos tes braços
o amor da vida que me leve adiante
e me faça tua amante
tua morada por instantes
nossas vidas distantes
e o momento gritante
que me assusta e me atrai
como imã e metal
como mariposa e luz
nossa vida geradora de luz
nosso amor que conduz
Dança cigana
saia rodada
lenço, cabana
barraco exposto
vida aberta
rosto inchado
olhos alerta
Meu amado amor encantado
meu beijo roubado
coração arrancado
lágrimas chorado
cabeça erguido
tudo recomeçado
Cantei as músicas que não ouviram
declamei os versos que não escrevi
amei pessoas que não mereciam
e chorei lágrimas que não foram notadas
Homem criado
semente plantada
florindo respostas
pintando devotas
Indigesto
comi teu cérebro
vomitei pensamentos
me nutri de verdades
Todo lado me faz
teu sorriso me tráz
acalenta a alma
realidade me salva!
Acabou com minha vontade de ver-te
apagou o desejo de ter-te
quebrou o sonho delicado
ai mundo encantado
Como se as flores só abrissem ao amanhecer
fui sentir seu perfume
sem ao menos os olhos ter aberto
acordei empregnada de aromas
procurei encontrar o teu num deles
senti que as lágrimas corriam
pois teu cheiro já foi apagado
nessa vida sem príncipe encantado

6 de dez de 2008

O silêncio nos atrai
ao inexplicável explicar
e ao inevitável amar
Em versos me apaixonei
em palavras dediquei
em beijos me entreguei
e em sorte te amarei
Ai vida inexplicável
um dia amo um
no outro de outro sou amante
me explicas tuas virtudes
me mostra a eterna quietude
de meu pobre coração sofrido
de meu pequeno corpo exaurido
Se sua sede não esta saciada
me convocas a sua morada sombria
me mostra sua fonte de alegria
te saciarei com meu néctar verdadeiro
mostrarei tuas glórias num espelho
livrarei nossas vidas da sentebça final
minha vida de muca será recompensada
tua lura será iluminada
á respeito da canção dedicada
ao amor da nossa morada
Os defeitos da minha vida não interferem á você
minha sorte virada ainda vai se resolver
o mundo ta me matando
isso todo mundo vê
mas um dia vai melhorar
vou abrir a janela e dizer Bom Dia!
depois ir estudar, trabalhar...
viver pra depois dizer
Consegui! Sobrevivi á minha dor.

confusões mentais de uma adolescente

Vou fugir
vou brincar
com as estrelas
no ar
vou contar
e sorrir
vou fingir que estou aqui
pra correr
pra brincar
pra uma pipa soltar
pra fugir
pra sorrir
e no mundo estar
no mundo estou
como vou?
como sou?
sou eu mesma
nada mais
não vou esquecer
jamais
sem brincadeira
não é besteira
é verdade
sem maldade
não pense na idade
é confuso
é estranho
deveria
não foi
seria
denovo não foi
eles filmam
eles gravam
eles querem saber
pra que discutir
fale baixo
vamos nos unir
pra que?
pra brigar
não vou mais aguentar
vou embora
assim não dá
vou largar
avisar
nunca mais vou voltar
tchau
adeus
acabou
ela se foi
Eu morri
meu nome é Glória
e pra não esquecer
nunca mais vou te ver
vou chorar
e lembrar
que um dia te amei
Quero fugir
quero ficar
quero dormir
quero sonhar
sonhar contigo
em noites de luar
e te abraçar
pra sempre
contigo estar
e nunca mais acabar
Não deixe que a neve me cubra
quero ver se a vida continua
quero saber se realmente existo
ou se sou uma personagem desse mundo divertido
uma peça no jogo de xadrez
onde caio amando você
não me deixe ficar aqui sozinha
Nem pense em deixar de se olhar
eu fiz de tudo pra você deixar de me amar
não pedi um escravo assim
te liberta, eu sei que pode
vai embor, eu sei que um dia a bomba explode
Assim sou
uma pobre coitada
amando um enquanto o outro me amava
mas não vou deixar que a loucura me domine
não vou deixar que a vida termine
Com estes versos te mostro meu amor
como se já não soubesses que sofro dessa dor
nunca te mostrarei minhas cartas
nunca saberás enquanto não quiséres
sempre me terás
mesmo que eu não pudésse
sou sua não tenho escolha
como já disse
os outros são á toa
sou tua e ponto final
não te desejo nada de mal
só te quero ao meu lado
contente
por tua vontade
com meu desejo ardente

5 de dez de 2008

Tu não me amas
e eu rolo na cama sem ninguém ao meu lado
tua face não sai da minha cabeça
tua vida não está junto a minha
só me deixas entrar nela um pouco
spo me deixas ser sua e ponto
A raiva que o meu corpo exauriu
levantou meu castelo de pedra
fez de mim cinderela
pro meu príncipe nunca chegar
Ache a chave desse caminho
saia daqui de dentro e me deixe sozinho
saiba que o mundo lá fora existe
saiba que a vida está além do limite
me deixe contando histórias
faça as suas
conquiste glórias
nos veremos em um futiro próximo
com flores num jardim plantado por mim
numa casa pintada de verde
com crianças deitadas na rede
um vinho tinto na entrada do jantar
e a sua cara de riso me olhando cozinhar

ACHO Q É SOBRE CASAMENTO >.<

4 de dez de 2008

Acabei com o teu plano
cruel desejo de me consumir
fuja enquanto á tempo
antes que minha raiva vá te destruir
Encontro a tua voz no meu silêncio
doce voz que vem me ninar
me levar pra sonhos jamais queridos
despertar desejos sem poder contar
Tardia vinda de uma luz
as sombras já tomaram teu ser
sem que eu pudésse impedir
a solidão me tomou pela mão
e me guiou pelos pensamentos
de quem eu nunca quiz por perto
por crueldade, decerto
Sentido pra que?
se sou réliz mortal
amar é em vão
se não se tem coração
Me esquece agora
e vai embora
pois minha morte
não demora
Me leva embora
pra nunca mais voltar
me leva agora
pro teu olhar
Assine as cartas que não vou mandar
vou pedir pro vento levar
que elas caiam em suas mãos
pra você ler essa canção
que fala da vida que não levei
e dos amores que não amei
da escuridão que me cobriu
e do teu sorriso quando partiu
A noite cai
para o meu tormento
e você não sai do meu pensamento
A escuridão cobre o meu desejo
que continua aqui dentro
Se você soubesse o quanto eu sinto
sinto a vida pulsando ao vento
Se eu pudésse parar o tempo
seria naquele momento

2 de dez de 2008

Nesse luar sou divina
pois teu sorriso me facina
sem teu olhar vou pra minha luna
me esconder dessa vergonha que me cerca
e encontrar a verdade que liberta
E me disseram que tu eras sábio
como se os tempos mudassem de rumo
e tuas palavras limpassem o mundo
Se nascessem teus filhos de um servo
pelos ordálios passariam reto
não haveria neles luz
e pela eternidade carregariam essa cruz
Ah se eles soubessem...
Enrubesceriam ao nascer da manhã
me veriam como filha de satã
te matariam na fogueira como bruxa
e calariam a verdade soturna
O escuro da noite te cerca
e o fogo da vida te cega
Te leva pra um mundo anormal
te faz ver que é irracional
e com desgraças te cala
pra ver como a felicidade é rala
e tem de ser aproveitada
não apenas com uma noitada
Anita foi brincar de pingue-pongue
escorregou, bateu com a cabeça e morreu
Seu sabgue jorrou pelas ladeiras
e todo mundo pôde ver o seu horror!

TRII DO MAL >.<
Uma linda rosa
se abriu pra mim
Numa bela trova
sorriu assim
E se o vento falasse
contaria a vida
de dois corpos separados
mas unidos pela cina

TEM MAIS POESIA E MELHOR
EU SÓ TENHO Q PEGA COM A LÊ
ESSA MINHA MULHER...^^