30 de out de 2009

E é quando tudo por pouco não desaba
que mais uma pedra escapa
e te acerta em cheio a cabeça
sangrando, cambaleante geme
porque o meu castelo?
porque a minha fortaleza?
tão sólida, tão bem montada
tão bela, tão admirada
segurar o que resta é o que hei de fazer
levantar a cabeça
e assim hei de vencer

São tantos defeitos, tantas qualidades
tantas mentiras, tantas verdades
tanta escuridão, tanta claridade
tanto desejo, tanta falta de força de vontade
tanta coisa que atrai e afasta
tanta coisa que nasce e mata
tanta coisa que agente esconde...
...esquece e não sabe onde
tanta ferida que abre, tanto remédio que cura
tanto beijo, tanto abraço, tanta procura
tanta saudade, tanta doçura
tantos tantos num órgão tão pequeno
tanto sangue, tanto pranto
tanto horror, tanto encanto
tanto tempo, tanta dor
tanto pensamento, tanto amor

19 de out de 2009

O amor faz do tempo um entrave
de um mês eternidade
do encontro repleta felicidade
do carinho espontaneidade
e de ti eu sentir imensa saudade.

15 de out de 2009

Desaba o teto na cabeça do pobre
seca o rio e a miserável horta destrói
o prédio alto tira o sol que esquenta
gente que anda rápido
máquinas barulhentas
o campo onde o gado morre
seca que mata
chuva que enche tudo
no céu não há nem mais oxigênio
poluição, carbono, tosse
sangue da boca e os filhos que morrem
camumbebe vagabundo nordestino
o novo dono da terra cobra
destrói a cerca
imaginação é o destino.
O coração despedaçado sangra
a garganta seca que o grito arranha
a lágrima que escorre pela face
é a tristeza que no corpo explode.
Não sei em que acreditar
não sei mais onde me segurar
minhas mãos estão cansadas
não tenho mais onde me agarrar
tudo foge aos meus olhos
tem medo do meu próprio medo
Tenho que apagar a dor
tenho que me encher de amor
tenho de acreditar nos olhos
que brilham diante dos meus
tenho de ouvir as palavras
que saem daquela linda boca
tenho de me agarrar a algo
se não eu caio, me desintegro
me despedaço e volta todo o horror
Crucifiquei meu coração
para pagar por meus pecados
livre agora e para sempre
o vento bate, estou contente
mas mesmo assim
o vazio no peito dói
ignoro, mas choro
meu sorriso continua no rosto
é o sol quem irá secar minhas lágrimas
aquecer meu peito
e encher de luz
o vazio sangrento
fechar a ferida
me dar nova vida

2 de out de 2009

Eu logo vi que tinha a plenitude
de um céu azul com um sol radiante
dia perfeito para um piquenique
dia perfeito para voar longe
vamos de mãos dadas até o outro lado
a colina sobe mas volta a descer
cansados, famintos mas alegres
volta agora antes do anoitecer
completa o dia todos para a cama
sonhar felizes com o que pudéram ver

Versos seus

Eu te amo e isso me acende
uma vontade de escrever versos seus
tua boca é o meu destino
com teus lábios tão macios
tua mão em meu seio farto
e a outra em meu quadril
teu corpo me cobrindo toda
me deixando louca, quase que febril
ah teu cheiro é um perfume raro
teu rosto uma obra de arte
teus cabelos macios e dourados
por onde minha mão desliza
sem destino dado
teu gosto, teu cheiro, teu rosto
teu corpo todo inclusive o coração
onde mora o sentimento mais nobre
onde vejo que tu me descobre
depositando todo meu amor
O livro da tua vida
tem páginas em branco,
coloridas, amassadas,
molhadas e queimadas
pega as inteiras
e ás joga ao vento
vê se ele recebe
e volta a escrevê-las
A vida que brota da cruz
a cruz feita da alma
alma aberta, paz encontrada
Flor rosa negra
seca, velha, despedaçada
a lágrima escorre pela face
e a lembrança do sorriso
maroto, divertido, apaixonado
a mão, o carinho o sentimento
o corpo, o calor, o abraço
o rosto radiante, encantado
agora o frio, o soluço
olhos tristes, desesperados
o cansaço, o fim
recomeço ordenado
coração cerrado
Só os ignorantes ignoram.

isso eu te disse um dia
e tu disse concordar
hoje vejo que tudo parte do mesmo princípio
foi um erro te amar
Desespero represado
e a planície continua calma
os ribeirinhos todos tensos
só esperando o pior acontecer
mas no coração a certeza
de que amanhã demanhã fará sol
sabem que não será o suficiente
mas já vai ajudar
esperam o dia em que o sol brilhe intensamente
e que os diques possam enfim descansar
sabem que tudo isso é necessário
para que tenham energia
mas não queriam que fosse assim tão difícil
deveriamos nos mudar deste lugar
disseram alguns
mas não tem condições de viver nem onde estão
qualquer mudança significaria a morte
poderiam pedir ajuda
mas seria admitir que não consequem cuidar das próprias vidas
a única esperança é o sol
ele está detrás daquelas nuvens
só resta esperar que apareça
mesmo que ele seque tudo
o seu calor é necessário, esperado
o seu calor é tudo de que eles precisam agora