21 de mar de 2010

Ela vem
á noite, de branco
iluminar o meu céu
me fazer chorar
e lembrar de quando era minha...
porquê me torturas assim?
que mal fiz em te amar?
te deixar ir foi um erro?
mas foste porquê quis
não te segurei nem nunca ô faria
te amo livre
te amo indo e vindo
nem que estejas indo para longe de mim
o importante é que te amo
volte então quando quisér
estarei aqui
com uma xícara de chá pronto e fumegante
secretamente te tocarei
e tudo voltará ao seu lugar

2 de mar de 2010

Não é mais fantasia
não é mais poesia
quando a verdade é revelada
só resta a agonia
o temor da consequência
o peso na conciência
a força se esvai
o sorriso se apaga
sobrevive quem tem sorte
pois ás cegas todos lutam
em busca da liberdade
em busca da plenitude.
As faces vermelhas ardentes
recendem a lágrimas
demonstram a dor
de quem sofre e lamenta
de quem entra a noite em claro
atormentado pelos seus pecados
de quem pensa na morte
e á sente no coração
de quem pensa na vida
e á sente no ventre
esconde as faces
esconde a dor
finge um mundo colorido enquanto pode
finge inocência
só não finge a própria morte.

1 de mar de 2010

No ventre volumoso da gata cinzenta
estão sendo gerados novos gatinhos
chegarão ao mundo de olhos fechados
cobertos de placenta e de pele rosada
os que vingarem miarão
sugarão o leite das miúdas mamas da gata
e logo tomarão pêlo, cor e parte no seu mundo felino.
Tateando no escuro á procura da porta
sente a humidade das paredes nos dedos
o cheiro de mofo que vem do teto infiltrado
o cheiro podre que envolve toda a casa
nunca chega á porta
nem sabe se não está trancada
se estiver está perdido
nem gritar adianta naquele inferno
quando o dia clarear poderá ver algo
com a luz que passará pelas frestas
poderá procurar ajuda
se libertar do cárcere.