3 de fev de 2010

Meu olhar se perde em sonhos
minha mão se perde em versos
tudo o que tenho é pouco
e não posso ter o que quero
minha voz se perde em promessas
coisas que não podem ser cumpridas
tento mais uma vez
depois desisto e me entrego ao incerto.

2 comentários:

  1. É curioso como a tua poesia incentiva a imaginação e assim é possível fazer diversas interpretações.
    Engraçado foi eu ter escrito no meu blog, logo depois ter visitado o teu e ter me deparado com esse poema, no qual não paro de ver relação com o meu texto recém escrito. Algo como se fosse um desfecho trágico para o que eu escrevi. Sinistro... o_O

    ResponderExcluir