15 de abr de 2010

era um dia de chuva, frio, ventava..
eu não via muito bem..
estava com a cabeça baixa..
os dentes batendo..
e o barulho metálico do aparelho..
o barulho da chuva caindo..
os carros passavam ao meu lado..
e o que eu mais queria era que um derrapasse..
e me acertasse em cheio..
sangue e chuva..
quando pensava ria..
podia a sentir o cheiro..
da chuva, do sangue..
do meu sangue..
estava só, o caminho era longo..
na verdade, nem sabia para onde ir..
á poucos metros o rio..
não tinha coragem para nada..
só continuava andando..
em frente, avante..
ninguém iria parecer, eu sabia..
ninguém sabia que eu estava ali, difícil terem esta ideia..
afinal de contas..
sempre fui tão responsável..
porquê faria uma coisa daquelas?
eu me perguntava..
porquê estava ali?
porquê sair daquele jeito?
eu sabia que aquela rua ia ter um fim..
teria de ir entrar em um lugar seco antes que morresse de frio..
mas afinal? eu não queria morrer?
não era por isso que estava ali?
nem eu sabia..
só sabia que estava ali..
só sabia que estava andando..
só sabia que tinha chegado o fim.

Um comentário: