29 de abr de 2010

Faroeste Cabloco de Legião Urbana

João chegando em Brasília vê as luzes de Natal e fica deslumbrado:
- Meu Deus, mas que cidade linda que é Brasília! E no Ano Novo eu já começo a trabalhar como aprendiz de carpinteiro!
João está cortando madeira, passa a mão pela testa tirando o suor, certa hora larga o que está fazendo e vai pra uma festa (canto direito), aparece Pablo que se apresenta:
- Pois meu nome é Pablo, sou peruano, moro na Bolívia e trago muitas coisas de lá. Estou começando um negócio, e bem que tu podias me ajudar.
- É, eu trabalho duro e mal consigo me alimentar, e esse governo que só promete e não faz nada. Pode contar comigo! – apertam as mãos.
- Então vamos começar a plantação!
Plantam... Chegam os “malucos da cidade”, fumam e falam com João:
- Cara, o negócio é roubar!
João anda junto com eles, tenta roubar algo de alguém, chega a polícia, todo mundo tenta fugir, a polícia prende João (bota pra fora da sala), João diz:
- Vocês vão ver, eu vou pegar vocês!
João sai da prisão cheio de ódio, as pessoas se agastam dele.
Passa Maria Lúcia, ele se encanta, se ajoelha e se declara:
- Maria Lúcia, meu coração é teu, quero casar contigo, vou voltar a ser carpinteiro. Maria Lúcia, pra sempre eu vou te amar, um filho teu eu quero ter!
Ele começa a trabalhar de carpinteiro, ela sai. Vem um senhor de alta classe e diz:
- João, tenho uma proposta pra ti, muito dinheiro tu vai ganhar!
- Não boto bomba em banca de jornal, nem em colégio de criança isso eu não faço não! E não protejo general de dez estrelas, que fica atrás da mesa com o cú na mão! E é melhor senhor sair da minha casa. Nunca brinque com um peixes de ascendente escorpião!
Mas antes de sair, com ódio no olhar, o velho diz: - Você perdeu sua vida, meu irmão.
João abaixa a cabeça, põe a mão no coração e diz:
- Você perdeu a sua vida meu irmão... eu vou sofrer as conseqüências como um cão.
Sai do trabalho (vai pro canto direito) e começa a se embebedar, chega a Pablo e diz:
- João, tem outro trabalhando em seu lugar.
João fica mais brabo ainda:
- Estou precisando de um parceiro, tenho dinheiro e quero me armar!
- Eu trago o contrabando da Bolívia e você revende em Planaltina, daí te trago a arma.
Aparece Jeremias (do lado esquerdo), olha para João e diz:
- Então é este o tal João de Santo Cristo? Com este cara eu vou acabar!
Jeremias sai (os outros dois ouviram o que ele disse). Pablo sai e volta com uma arma.
- Está aqui, uma Winchester 22.
- Eu sei atirar, mas só vou usar a arma depois que ele começar a brigar... Estou com saudades de Maria Lúcia eu vou me embora, já está em tempo de a gente se casar.
Vai pra casa (canto esquerdo), chora, aparece a polícia e prende ele.
Jeremias e Maria Lúcia estão juntos, João volta, vê os dois e fica com ódio, chama Jeremias
E diz:
- Amanhã às duas horas na Ceilândia, em frente ao lote 14, é pra lá que eu vou. E você pode escolher as suas armas que eu acabo mesmo com você, seu porco traidor. E mato também Maria Lúcia, essa menina falsa pra quem jurei o meu amor.
Maria Lúcia fica triste e abaixa a cabeça.
João fica andando de um lado para o outro (no canto direito).
- E no dia e hora marcados...
Chega Jeremias, Maria Lúcia e João (no meio). João olha em volta se virando e quando está de costas Jeremias atira. João se ajoelha e sente o sangue saindo da boca, diz:
- Se a via-crucius virou circo, estou aqui.
Vira-se e sente sol nos olhos, reconhece Maria Lúcia, ela se aproxima e lê entrega a Winchester 22. Jeremias fica atordoado e se vira para ir embora. João fala:
- Jeremias, eu sou homem, coisa que você não é, e não atiro pelas costas não, olha pra cá filha-da-puta, sem-vergonha, dá uma olhada no meu sangue e vem sentir o teu perdão.
Jeremias se vira, João da cinco tiros nele, Jeremias também atira e acerta Maria Lúcia que cai morta ao lado de João.

Nenhum comentário:

Postar um comentário